image004

Texto: Carolina Octaviano

Incubada na Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Unicamp (Incamp), a empresa Bioreciclo, que atua no ramo de reciclagem de baterias de lítio de dispositivos móveis, realiza campanha para coleta de celulares usados e está em busca de empresas que queiram participar deste projeto, que visa conscientizar a população sobre o descarte adequado deste tipo de material, e que possam disponibilizar seu espaço para implementação de uma urna para coleta dos celulares, por período determinado. Podem participar da campanha – que foca no cidadão comum que muitas vezes não sabe onde e nem como descartar adequadamente o celular - espaços como escolas, condomínios e empresas. Um dos locais que já recebeu a urna para descarte e que participa da iniciativa é a Agência de Inovação Inova Unicamp.

“Estudos indicam que as pessoas guardam esse tipo de resíduo, mesmo que quebrado ou sem uso. Então, faremos contato e parceria com o ponto de coleta, divulgação com os frequentadores do local e deixaremos o coletor instalado no local por uma ou duas semanas”, explica o químico Henrique Grigolon Correa, membro da startup, frisando que a produção da urna de coleta é de responsabilidade da própria startup. Ele conta que a campanha tem como meta a coleta de 20 mil celulares, em seis meses. Esta meta, na verdade, corresponde à quantidade mínima do material para reciclagem. “Hoje, no país tem apenas uma empresa que recebe e encaminha para sua planta de reciclagem na Europa e realiza a etapa de transformação do resíduo em nova matéria prima, que é a Umicore”, completa.

IMG_8835

Segundo Correa, o objetivo principal da campanha é incentivar a reciclagem não somente de baterias, mas também de outros tipos de materiais, o que pode trazer ganhos significativos ao meio ambiente e também uma mudança cultural. “Queremos incentivar o descarte adequado desse aparelho que já não serve mais. A reciclagem evita contaminação caso descartado erroneamente e principalmente colabora com a diminuição da extração da matéria-prima. O impacto ambiental na produção primária do metal utilizado na fabricação de um aparelho de celular é significativo, especialmente para metais preciosos e raros que são extraídos a partir de minérios que a concentração de metal é muito baixa. Queremos incentivar esse pensamento”, afirma.

Além de parceiros como empresas e de locais de coleta, a startup também firmou parceria com artistas para a criação da identidade visual da campanha e customização das urnas coletoras. “Nossos parceiros são os artistas colaboradores, Carriero, Biel Siqueira, Danilo Lucena e Coro Avage e o marceneiro Tiago, do Planejados Paixão. Contamos também com o Mauricio Callegaro no desenvolvimento da arte e material de marketing”, finaliza o químico.

Sobre a startup

A BioReciclo atua na pesquisa e no desenvolvimento de soluções tecnológicas em três grandes frentes: resíduos, energia e recursos hídricos, com foco atual em reciclagem de baterias de lítio de dispositivos móveis através da biohidrometalurgia e em consultoria na gestão de resíduos, o que retroalimenta a cadeia produtiva com subprodutos de alto valor agregado, reduzindo a necessidade de extração de novos metais e o impacto ambiental associado a esta atividade. Ainda, atua também com estudos relativos a sistemas de gestão agropecuária, como o gerenciamento de tratores e a pegada hídrica, que otimiza o uso de recursos hídricos, minimizando assim o impacto ambiental e os custos da atividade.