Texto: Juliana Ewers
Denis Shiguemoto, diretor-executivo da DPR, que é uma empresa-filha da Unicamp, expôs hoje ao Campetro 2014 como uma startup de serviços tecnológicos de engenharia atua no mercado de petróleo e gás.
Em sua apresentação, Shiguemoto indicou os serviços desenvolvidos pela DPR. São eles: computação científica para programação das equações e métodos numéricos, otimização de programas, reestruturação e “limpeza” de código; desenvolvimento de softwares customizados; simulação numérica; e cursos técnicos.
A DPR é uma empresa-filha graduada na Incamp (Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Unicamp), que conta com 60% da equipe pós-graduada e 22 projetos de P&D na bagagem. Projetos em parceria com a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), Petrobras, CNPq e Unesp foram destaques.
“Para atuar no mercado de petróleo e gás é preciso ousadia e excelência. Por isso, contamos com um time multidisciplinar e bastante qualificado para dar conta das demandas que nos aparecem”, afirmou Shiguemoto. Além da DPR, a incubada DSPGEO e a graduada TechChrom também participaram do Campetro 2014. Todas elas fizeram parte dos estandes de exposição.
O Campetro 2014 foi realizado no EXPO Dom Pedro, nos dias 4 e 5 de novembro. O objetivo do evento foi o de colocar à disposição de micro, pequenos e médios empresários tecnologias ligadas ao setor de óleo e gás.
Atualmente, 50% do território brasileiro é abastecido pelo combustível gerado no Estado de São Paulo, sendo que a refinaria de Paulínia corresponde a 24% do total da produção. “Temos aqui, ao lado de Campinas, uma grande refinaria, que exige um padrão de qualificação para seus fornecedores. A Replan significa muito para a nossa região. Além disso, temos toda uma estrutura ímpar no que diz respeito a aeroporto, sistema rodoviário e capacidade de desenvolvimento tecnológico. Dessa maneira, o intuito deste evento é o de incrementar e qualificar toda essa cadeia, a fim de gerar mais oportunidades de emprego, renda, desenvolvimento e crescimento, não só para a Região Metropolitana de Campinas, como também para o país”, disse José Nunes Filho, diretor-titular do Ciesp Campinas.