IMGL3994

Texto: Carolina Octaviano

Foto: Thomaz Marostegan  

Conhecida como uma das universidades mais empreendedoras da América Latina, a Unicamp mais uma vez se destaca quando o assunto é o empreendedorismo universitário. Realizada pela RedEmpreendia – rede iberoamericana que promove o empreendedorismo universitário -  em parceria com a Agência de Inovação da Unicamp, a pesquisa – nomeada 360 graus – apontou que 48% dos alunos da Unicamp desejam montar seu próprio negócio. Destes, 14% também manifestam uma postura ativa sobre o tema, pois afirmaram que já buscam informação de como abrir uma empresa. Quando perguntados sobre o motivo para abrir um empreendimento a grande maioria dos alunos (90%) que pretendem empreender dizem buscar realização pessoal (61%) e explorar uma nova oportunidade de negócio (29%). 

O estudo foi realizado a partir de um formulário online, que também foi aplicado em outras duas universidades brasileiras – Universidade de São Paulo (USP) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), como parte do programa Embaixadores da RedEmprendia, no qual alunos das universidades apoiam a disseminação de conteúdos relacionados à temática do empreendedorismo. Somente na Unicamp, 536 alunos da graduação e pós-graduação de 22 unidades da Universidade responderam ao formulário. 

Entre os resultados da Unicamp, outro dado de relevância é que 29% dos respondentes consideram a Agência de Inovação Inova Unicamp como o principal órgão aconselhador para a criação de novas empresas. “Nós ficamos extremamente felizes em saber que somos uma referência para estes novos empreendedores. Este dado demonstra que, com nossas iniciativas e ações, estamos cumprindo nosso papel”, afirma Milton Mori, diretor-executivo da Inova Unicamp. 

Na opinião de Mariana Zanatta, responsável pela área de Empreendedorismo da Inova e gerente do Parque Científico e Tecnológica da Unicamp, as informações encontradas podem impulsionar novas ações da Agência, com a finalidade de melhor atender a comunidade de alunos da Unicamp. “É interessante salientar que grande parte dos ouvidos são alunos de graduação. Percebe-se que boa parte deles têm o empreendedorismo como opção de carreira, ao invés das opções convencionais (ser funcionário de uma empresa ou seguir carreira acadêmica). Isso nos mostra um perfil diferenciado dos alunos que estão ingressando na universidade e nos dá margem para a criação de novas iniciativas em empreendedorismo, como novas disciplinas opcionais, workshops e cursos intensivos de curta duração sobre empreendedorismo”, aponta Mariana.

Segundo Felipe Maruyama, coordenador do Programa Embaixadores da RedEmprendia, a pesquisa 360 Graus é a primeira do gênero no país. “Tivemos todo o cuidado de tentar respeitar a individualidade, as particularidades e a identidade de cada uma das universidades brasileiras que participaram nesta primeira etapa. Ela representou um retrato de um momento das universidades e como elas estão tratando a temática do empreendedorismo a partir da ótica dos discentes”, aponta. Ele revela que o intuito é que, posteriormente, a Pesquisa 360 Graus seja replicada em outras universidades, de modo a se tornar uma ferramenta capaz de auxiliar na formulação de ações, atividades, programas e políticas públicas que compreendam a temática do empreendedorismo inovador.

Confira o primeiro relatório disponibilizado pela RedEmprendia sobre os estudos nestas universidades, aqui.