img_20170324_1026112

Texto: Marina Nania

Com o propósito de disseminar os avanços da área de Realidade Virtual (RV) aplicada à reabilitação neurofuncional, o simpósio BRAINN VR (evento satélite do 4° BRAINN CONGRESS) reuniu nessa sexta-feira, dia 24, 40 pesquisadores e profissionais das áreas de desenvolvimento tecnológico e de reabilitação física. Organizado pela BIOXTHICA, spin-off da área de informática em saúde pré-incubada na Incamp, o evento apresentou soluções de realidade virtual desenvolvidas na Unicamp e aplicadas à neurociência.

Prof. Diego Dias, docente no departamento de Ciência da Computação da Universidade Federal de São João Del Rei, abriu o simpósio com uma discussão sobre como as aplicações da realidade virtual farão parte de nossa rotina durante a próxima década. “Eventos como esse encontro são importantes pois possibilitam que os profissionais da programação se aproximem dos pacientes que fazem a experimentação de nossas soluções”, afirma.

Fundador da BIOXTHICA e organizador do simpósio, Dr. Alexandre Brandão foi destaque durante a BRAINN VR talk “Realidade Virtual para recuperação neurofuncional e inovação tecnológica”, em que apresentou suas pesquisas e as soluções da spin-Off, discutindo as ferramentas tecnológicas em RV e suas aplicações na área clínica. A conversa foi destaque durante o evento, e contou com as participações da Profª Karina Gramani, professora no departamento de Gerontologia na UFSCar, e do Prof. Marco Uchida, professor da Faculdade de Educação Física (FEF) da Unicamp. Também estiveram presentes os profissionais Drª Sara Almeida (Instituto Neuron / HC Unicamp), Rafael Vallim (Lucy Montoro) e Profª Ester Nakamura (docente no departamento de ciências fisiológicas da Universidade Federal do Espirito Santo – UFES), que discutiram como se dá a aplicação dessas tecnologias no dia-a-dia do paciente e quais as perspectivas de aplicação na área de reabilitação. “Os pacientes gostam muito da realidade virtual porque através dela os treinos fogem da rotina típica da terapia física, tornando-se mais interessantes”, explica Vallim.

O evento contou, ainda, com as participações de Dr. Thomas Beltrame, da University of Waterloo, que discutiu a aplicabilidade de dispositivos vestíveis (wearable devices) como suporte para o sensoreamento de variáveis fisiológicas durante a interação com ambientes de realidade virtual; do professor da especialização em Informática em Saúde da Unifesp Prof. Marcelo Guimarães, que discutiu o uso da RV na neuroeducação de crianças com altas habilidades (superdotados); e da professora Profª Gabriela Castellano, que apresentou o XTReMe, projeto de tecnologia assistiva da Finep. Além disso, estiveram presentes Prof. Fabio Barbieri e Lucas Simieli, da UNESP, participando de uma conversa sobre rastreamento visual, e Maria Aratanha do Hospital Albert Einstein (Inst. do Cérebro), Paulo Bazán da Faculdade de Medicina da USP e Daniel Machado da Universidade Estadual de Londrina (UEL), que demonstrou experimentos e aplicações em interface cérebro-computador como suporte para o uso da realidade virtual.